A justiça foi feita

O que o tribunal não fez, o futebol tratou-se de fazer

A justiça que o tribunal não pode nos dar, a arte do esporte nos entregou em um roteiro perfeito. Ontem, o Fluminense fez justiça, justiça essa, que foi feita em cima do clube mais antipático do Brasil, o Flamengo. O rubro negro que era elogiado por ser o time do povo, amado por 40 milhões de torcedores de diferentes classes sociais, se tornou a instituição esportiva mais odiada do país.


O Flamengo está tão seguro que pode se manter sozinho como dono do futebol Brasileiro, que cria situações como a de ontem, saiba mais. Mas talvez tenham esquecido de uma frase de Abedi Pelé(importante jogador de Gana), que diz; "alguns times de futebol fracassam porque estão demasiadamente seguros de si mesmo."


Rodolfo Landim e seus comandados entendem, que apenas as vitórias dentro de campo, os colocarão no hall dos maiores dirigentes da história. Não conseguem olhar para um clube do tamanho do Flamengo, como um educador social, que serve de exemplo para mais de 40 milhões de torcedores. Se você leu até aqui, sabe que eu não estou falando só do dia de ontem, mas sim, das ações que vem sendo tomadas pela cúpula flamenguista, desde o dia em que mataram 10 crianças no CT do Ninho do Urubu.

Após ter sido negligente, ao ponto de deixar acontecer um incêndio, que tirou a vida de 10 crianças. Tiveram a coragem de não ajudar aqueles pais, que nunca mais receberão um eu te amo de seus filhos. O valor de uma vida é imensurável, não pode ser definida por uma diretoria, muito menos por pessoas que tem o sangue capitalista correndo em suas veias. Mais de um ano se passou após aquela fatídica tragédia, e grande parte das famílias, continua sem receber a indenização do clube.


Se vocês pensam que parou por aí, infelizmente estão errados. A chegada da pandemia do Coronavírus, trouxe mais uma vez a falta de empatia de Landim e todos os seus comandados. A pressa com que pediram a volta do futebol, em um momento onde o país vivia, o ponto mais alto da curva de contaminação, mostrou a todos nós que o Flamengo passará por cima de tudo e de todos para se manter no topo da pirâmide do futebol brasileiro. Em uma partida de 90 minutos, 3 pessoas morreram no hospital de campanha a menos de 100 metros de onde o "time do povo" comemorava a primeira "vitória" após a parada do futebol por conta da Covid-19.


Para completar toda essa falta de empatia, foram até o Palácio do Planalto fazer uma visita ao Presidente querendo que este, fizesse a publicação de uma medida provisória que prejudicaria a maior rival de Jair Bolsonaro, a Rede Globo. Prontamente atendido pelo nosso excelentíssimo Presidente, a MP 984/2020, foi publicada no diário oficial da união no dia 18 de junho. A partir daí, todos os mandante teriam direitos de transmissão exclusivos em cima da partida, saiba mais.


Com todo alvoroço criado em cima da chamada "MP do Flamengo", o rubro negro conseguiu ter sucesso transmitindo suas partidas de várias maneiras diferentes. Acontece que, no dia de ontem, tentaram quebrar a lei, que foi em grande parte elaborada por eles. Dando uma impressão que o Clube De Regatas do Flamengo está acima da lei. Infelizmente, colocaram o time de maior alcance social do Brasil, nas mãos de pessoas desumanizadas.


O que a diretoria do Flamengo faz no âmbito social, é ridicularizar e antipatizar o clube no cenário nacional. O time que todos nos parávamos para assistir, pois jogava um belo futebol, acabou se tornado o clube que todos torcem contra quando entra em campo. É uma pena que essa geração de jogadores que estão passando pelo Flamengo, serão marcados por ser um time sem empatia e sem amor ao próximo.


0 visualização